UM ANEL NãO É SUFICIENTE
ebook

UM ANEL NãO É SUFICIENTE

Editorial:
HARLEQUIN IBÉRICA PORTUGAL
Materia
Novela
ISBN:
978-84-687-5822-0
Páginas:
160
Formato:
Epublication content package
Derechos eBook:
Copiar/pegar: Prohibido.
Imprimible: Prohibido.
DRM
Si
Colección:
SABRINA | SABRINA

Depois do «Sim, aceito»?

Ajax Kouros tinha um plano e ficar plantado no altar não fazia parte dele. Sobretudo quando enfrentava um sem-fim de convidados e de jornalistas. O futuro da sua empresa dependia de se casar com uma Holt. Portanto, quando a irmã da noiva se ofereceu para se casar com ele, como poderia dizer-lhe que não?

Leah Holt tinha crescido vendo a sua bonita irmã de braço dado com Ajax. Agora, tinha a oportunidade de salvar a fortuna da família. Mas dizer «Sim, aceito» era apenas o princípio. Depressa se apercebeu de que o homem com que se casara era mais complicado do que o rapaz das suas fantasias de adolescente?

Otros libros del autor

  • PROMESA DE DESEO
    ebook
    Titulo del libro
    PROMESA DE DESEO
    MAISEY YATES
    Utilizaría el deseo que no habían saciado durante cinco largos años para que ella volviese a su ladoEl cuento de had...

    Q. 24

  • PROMESA DE SEDUCCIÓN
    ebook
    Titulo del libro
    PROMESA DE SEDUCCIÓN
    MAISEY YATES
    Un regalo de Navidad para el hombre que lo tenía todo.El príncipe Andres de Petras podía borrar sus pasados, aunque ...

    Q. 25

  • FANTASÍA PROHIBIDA
    ebook
    Titulo del libro
    FANTASÍA PROHIBIDA
    MAISEY YATES
    Poseo tu empresa. Te poseo a ti.Cada vez que Elle St. James miraba a aquel hombre que había considerado de su famili...

    Q. 25

  • CASAMENTO EM JOGO
    ebook
    Titulo del libro
    CASAMENTO EM JOGO
    MAISEY YATES
    Ele tinha de falar já? ou calar-se para sempre?Eduardo Vega tivera, noutro tempo, o mundo nas suas mãos, e uma espos...

    Q. 21

  • EL PRÍNCIPE REBELDE
    ebook
    Titulo del libro
    EL PRÍNCIPE REBELDE
    MAISEY YATES
    Tras quince años de exilio voluntario, el rebelde príncipe Xander Drakos se vio obligado a cruzar de nuevo las puert...

    Q. 25